Silêncio auxilia no desenvolvimento do prematuro: mito ou verdade?

Períodos em silêncio fazem parte da rotina da UTI Neonatal da Pro Matre Paulista

Verdade. Bebês prematuros, muitas vezes, dependem de longos períodos de internação em UTI Neonatal para tratar algum tipo de doença ou simplesmente ganhar peso e poder ir para casa. No dia a dia desses pequenos, o Horário do Psiu é um recurso fundamental.

É um método simples, de eficácia comprovada e aplicado com disciplina nas maternidades de referência, como é o caso da Pro Matre Paulista. Durante o dia, em quatro horários diferentes, as luzes da nossa UTI Neonatal são apagadas e a atividade em torno dos leitos, bastante reduzida. O objetivo é criar um ambiente de sossego e aconchego, oferecendo aos bebês uma atmosfera mais calma e relaxante.

“Este método tem se mostrado eficiente na redução da dor dos prematuros e também do estresse, já que boa parte desses bebês tem de ser submetida a procedimentos diversos que podem gerar algum desconforto”, comenta Dra. Edinéia Vaciloto Lima, neonatologista da Pro Matre Paulista. Nossa maternidade é filiada à rede internacional Vermont Oxford, que permite a comparação dos resultados conquistados na assistência de recém-nascidos com menos de 1.500 g entre 800 UTIs neonatais do mundo.

Quer saber mais sobre nossa especialização nos cuidados com prematuros? Acesse!

Problemas na visão podem ser detectados ainda no berçário: mito ou verdade?

O teste do olhinho detecta eventuais problemas logo nos primeiros dias de vida

Verdade. Os dias subsequentes ao nascimento do bebê são marcados por vários exames no berçário, local onde a criança fica entre 48 e 72 horas. Após sua liberação do berço aquecido, que geralmente acontece três horas depois do nascimento, e depois de um exame minucioso das condições clínicas, o pediatra faz avaliação dos olhinhos.

“Este exame é o reflexo que vem através das pupilas quando estas são submetidas a um fonte de luz. Este reflexo é muitas vezes observado em fotografias com flash . Para que ocorra o reflexo, a luz tem que passar por todas camadas do olho até sua retina, e voltar dando a coloração vermelha.Se isto não ocorrer, é porque ao longo do trajeto a luz não consegue chegar à retina, o que indica que há problema neste olho”, explica o pediatra Dr. Francisco Dutra.

Para fazer o teste do olhinho, é utilizado um aparelho chamado oftalmoscópio, que verifica se o bebê apresenta algum tipo de tumor ou catarata. Bebês diagnosticados com alguma deficiência normalmente já podem ser operados para correção na própria maternidade, minimizando efeitos de qualquer doença relacionada

O bebê não tem a visão definida logo que nasce: mito ou verdade?

Assim que nasce, o bebê já é capaz de enxergar objetos próximos

Em termos. A visão do recém-nascido se desenvolve com o passar do tempo. Logo após o nascimento, o bebê é capaz de ver objetos dentro de uma faixa entre oito e dez centímetros dos olhos. O recém-nascido também reconhece facilmente as cores preta, branca e vermelha. Com o tempo, seu campo de visão e compreensão de cor também se desenvolvem.

Os bebês são curiosos sobre tudo que os rodeiam, desde o nascimento: gostam de olhar para as cores brilhantes no berço e para o rosto de sua mãe, o que costumam fazer repetidamente. Não é à toa que, entre as primeiras coisas que os bebês aprendem a reconhecer esteja o rosto de sua mãe.

Notadamente após o 3º mês, quando o campo visual nas três dimensões se amplia rapidamente, é recomendável que se deixe a partir de então, sempre que possível, a criança sentada (com um apoio a 45 graus). Isso permite que ela possa ver o mundo ao seu redor de uma perspectiva mais abrangente, o que fica limitado se o lactente permanecer deitado todo o tempo.

Que tal conhecer a Pro Matre agora mesmo?

Suíte Master da Pro Matre Paulista, uma das estruturas que você pode conhecer no tour virtual

Quando a mulher está grávida, em algum momento surge a necessidade de escolher a maternidade onde o bebê chegará ao mundo. Normalmente, é no segundo trimestre da gestação que a pesquisa por instituições de saúde costuma acontecer. Mas por que esperar até lá, quando a curiosidade é tão grande?

Para facilitar essa tarefa, o site da Pro Matre Paulista oferece um tour virtual, que mostra em detalhes todas as principais estruturas da maternidade. Lá, é possível passear virtualmente pelo berçário, pelo Centro Obstétrico, pela Suíte para Parto (LDR), pelos vários tipos de apartamentos, entre outros.

É claro que o tour virtual não substitui a visita à instituição, na qual uma equipe especializada levará a gestante a cada um desses locais, mostrando os benefícios e esclarecendo dúvidas.

Que tal aproveitar o final de semana para realizar o tour virtual pela Pro Matre Paulista? Acesse!

Primavera é uma estação perigosa para crianças: mito ou verdade?

Problemas respiratórios são comuns nesta época do ano

Verdade. Sarampo, caxumba, rubéola, catapora (varicela), rinite, asma e conjuntivite são alguns dos problemas a que as crianças tendem a ficar mais vulneráveis com a chegada da primavera. O motivo é que essa estação do ano é caracterizada pela predominância da baixa umidade do ar, mudanças bruscas de temperatura, dispersão de pólen, proliferação de insetos e maior exposição das pessoas ao ar livre.

“Contrair catapora e sarampo é preocupante devido às complicações que podem ocorrer, tais como pneumonias, infecções de pele e mucosas, meningites e encefalites”, declara Dra. Débora Passos, pediatra da Pro Matre Paulista, em entrevista para o portal Uol. Algumas dessas doenças podem ser prevenidas por meio da vacinação –como sarampo, caxumba, rubéola e catapora. Porém, para a maioria dos vírus respiratórios comuns nessa temporada, não há vacinas.

Embora muita gente ainda pense que seja bom contrair boa parte dessas doenças –como sarampo e catapora– na infância, fortalecendo assim o sistema imunológico e evitando adoecer na idade adulta, as doenças da primavera são perigosas para as crianças e não se deve forçar o contágio.

No caso de conjuntivite e rinite, não existem vacinas. Esses males podem ser prevenidos e tratados também com medidas básicas, de acordo com Débora, da Pro Matre: hidratação abundante das vias aéreas e dos olhos. Nessas ocorrências, tal como na de quadros asmáticos, medicamentos só devem ser ministrados com orientação médica.

Alimentação correta pode reduzir enjoos na gravidez: mito ou verdade?

Alimentos com pouca gordura favorecem a digestão e podem reduzir os enjoos da gestante

Verdade. No primeiro trimestre da gestação, é comum que a gestante sinta fortes enjoos e desconfortos gástricos, como a azia. Uma boa alimentação é fundamental para aliviar esse tipo de desconforto.

“Para reduzir os enjoos, a gestante tem que ter uma alimentação mais fracionada, evitar alimentos muito gordurosos e não deve ficar muito tempo sem se alimentar”, orienta Luciana Costa, nutricionista do Hospital e Maternidade Santa Joana.

Fracionar a alimentação significa comer pequenas porções de alimentos de três em três horas. “Em alguns casos, recomenda-se que esse intervalo seja de duas horas, porque o volume de comida ingerido no início da gestação, principalmente se a mulher tem enjoo, deve ser bem menor. Essa ideia de que mulher grávida deve comer por dois é um mito. Ela não precisa aumentar a quantidade de caloria que está acostumada a consumir. Durante a gestação, esse aumento deve ser de apenas 300 calorias, o equivalente a dois pãezinhos por dia”, explica.

A gestante deve ingerir alimentos de todos aos tipos de grupos alimentares, no entanto, é preciso balanceá-los para manter uma dieta equilibrada e sem excessos. Procure sempre um nutricionista para que ele possa orientá-la melhor.

 

 

Pai também tem depressão pós-parto: mito ou verdade?

Ao sentir-se isolado, o homem pode viver momentos de tristeza e falta de ânimo

Verdade. Pode acontecer em alguns casos. Enquanto algumas mulheres podem sofrer oscilações de humor muitas vezes por causas fisiológicas, a ocorrência nos pais está mais ligada a questões circunstanciais e psicológicas.

Em alguns casos, o pai sente certo isolamento após o nascimento do bebê. Com a atenção voltada para o recém-nascido, algumas mulheres tendem a relegar o companheiro a um segundo plano, gerando sensação de rejeição em alguns pais.

O afastamento do casal, do ponto de vista sexual, pode ser uma das fontes dessa sensação. “Por ação hormonal, a mulher tem sua libido adormecida durante a fase de amamentação”, comenta Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista.

Quer saber mais sobre o tema? Que tal aproveitar o final de semana para navegar pelo site da Pro Matre Paulista e conhecer o canal “Papo de Pai”, inteiramente dedicado aos homens que estão estreando ou vivendo novamente a aventura de ser pai?

Tempo seco favorece o surgimento de alergias: mito ou verdade?

As alergias do trato respiratório estão entre as mais comuns

Verdade. No entanto, quadros alérgicos podem se manifestar de várias maneiras, ocasionados também por fatores diversos. “De maneira bem simples, podemos dizer que a alergia é uma reação do organismo a fatores externos, motivada por traços hereditários, levando a um processo inflamatório que se manifesta de várias maneiras”, explica o neonatologista Francisco Brás, da Pro Matre Paulista. As alergias mais frequentes estão relacionadas ao aparelho respiratório, no qual a criança apresenta um quadro semelhante a uma gripe ou um resfriado.

No caso das alergias respiratórias, normalmente o fator externo desencadeante pode ser, na verdade, uma soma de elementos: poluição ambiental, fumaça de cigarro, presença de animais domésticos, poeira, bolor e muitos outros. “Na maioria dos casos, é difícil detectar com precisão o que causa alergia na criança”, comenta o médico, explicando que os testes de alergia não costumam ser conclusivos para crianças com menos de dois anos de idade.

“Até essa fase, o organismo da criança é imaturo em vários aspectos e os fatores hereditários que determinam as reações a elementos externos podem não ter se manifestado ainda.” Para os casos de alergias associadas ao trato respiratório, uma medida paliativa é evitar o acúmulo de secreção, lavando frequentemente o nariz do bebê com soro fisiológico, além de hidratar a criança para ajudar a fluidificar o muco nasal.

 

Bebês já escutam no útero da mãe: mito ou verdade?

Verdade. “Crianças normais nascem com os cinco sentidos já formatados para levar ao Sistema Nervoso Central as informações percebidas e que tratarão de estabelecer os vínculos com o ambiente que os envolve, permitindo que se explorem as sensações desde então”, afirma Dr. Paulo Pachi, neonatologista da Pro Matre Paulista.

O sentido da audição em uma criança desenvolve-se muito antes do nascimento do bebê. Quando ainda está no útero, o bebê ouve os batimentos cardíacos de sua mãe, e, ao nascer, a criança tem boa compreensão e reconhecimento do som. Nos primeiros meses, perceba como a voz da mãe exerce um efeito calmante para o bebê.

Com o tempo, ele começa a fazer a interpretação das palavras e compreende seus significados. É muito fácil, mesmo para um bebê, compreender o tom do discurso, se de censura ou elogio, por exemplo.

É interessante que o recém-nascido, desde os primeiros dias de vida, passe a ouvir músicas por 1 a 2 horas diárias, para que desenvolva as percepções de melodia, harmonia, ritmo etc.

Lembre-se que o ouvido é uma estrutura delicada, ainda mais no caso de recém-nascidos. Evite expor a criança a ruídos muito altos. Na hora do banho, proteja-o para não entrar água. Limpeza, só com a toalha, nas partes externas da orelha.

Bebê não deve tomar banho de sol: mito ou verdade?

Bebê pode e deve tomar sol, mas com cuidados

Mito. Mas é preciso tomar alguns cuidados, pois o bebê recém-nascido possui a pele muito delicada, que requer atenção e cuidados. Procure sempre observar a pele da criança a fim de identificar possíveis alterações por causa do sol.

Se o bebê ficar exposto ao sol por muito tempo, poderá sofrer desidratação, febre, delírio, choque e baixa pressão sanguínea. Então, se for expor seu filho ao sol, procure protegê-lo e limitar o tempo. Assim você cuida de seu filho e garante sua saúde.

E não se esqueça dos horários mais recomendados para os banhos de sol. Antes das 10h e depois das 16h – lembre-se do horário de verão.

Não passe nada na pele dele até os seis meses de idade. Qualquer alteração observada na pele contate um pediatra.

Dicas como esta podem ser encontradas no Espaço Família, do site da Pro Matre Paulista. Aproveite o final de semana e acesse!