Gestante não deve fazer longas viagens: mito ou verdade?

As viagens, tanto de carro quanto de avião, são seguras até o sexto mês de gestação

Verdade. Longas viagens são contraindicadas a gestantes por conta do desconforto que este período proporciona, especialmente nos últimos meses de gravidez. Entretanto, se a mulher se sentir bem, não há problema em viajar de avião até o sexto mês.

“Uma orientação importante é usar meia elástica para evitar problemas circulatórios, como trombose e inchaço de membros inferiores”, lembra Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista. Durante a viagem, também é importante consumir bastante líquido e caminhar a bordo algumas vezes.

De carro, as viagens geralmente são permitidas até o sétimo mês de gestação. Uma dica é viajar no banco dianteiro com o cinto de segurança de três pontos, fazer paradas a cada duas horas para caminhar e ir ao banheiro. O uso de  meia elástica também pode ajudar no conforto da viagem.

 

 

 

Um Natal incomparável

As famílias que já passaram por isso sabem como é.

As que estão passando agora começam a descobrir.

As que devem passar em breve mal podem esperar.

As que planejam para o futuro ainda não têm noção.

O primeiro Natal da família com um bebê é incomparável: nenhum presente será mais festejado, nenhum brinde fará mais sentido, nenhuma ceia, tão aguardada. Um bebê no centro da família, em pleno Natal, transforma o significado da festa. Ou nos aproxima de seu sentido original: celebrar a vida e renascer para novos desafios.

A todas as famílias que, de alguma maneira, fazem parte da história da Pro Matre Paulista, um Feliz Natal!

Gestantes devem tomar cuidado no período de festas: mito ou verdade?

Cuidados com a hidratação devem ser mantidos para as gestantes, mesmo durante as festas

Verdade. Há poucos dias das festas de fim de ano, é normal que as gestantes fiquem cheias de dúvidas sobre o que podem e o que não devem fazer nesta fase. Afinal, motivos para comemorar não faltam, mas com o que uma mulher grávida deve se preocupar nesse período de Natal e Ano Novo?

Dr. Luiz Fernando Leite, ginecologista e obstetra da Pro Matre Paulista, explica que a época pode se tornar mais desgastante de acordo com o número de semanas de gravidez, principalmente devido aos desconfortos provocados pelo inchaço, pela falta de ar e pela dor lombar.

“Além do mais, devido ao calor da época natalina, as gestantes irão apresentar maior desgaste e quedas de pressão, por isso devem evitar os horários de pico e as aglomerações”, comentou o ginecologista.

As altas temperaturas, que têm princípio bem na época do Natal e do Ano-Novo, são, inclusive, um dos quesitos com que as grávidas mais devem se preocupar. Por isso, mamãe, cuidado para aproveitar as festas de fim de ano sem causar desconfortos a você e danos ao seu bebê.

 

Novo Pronto-Atendimento da Pro Matre Paulista

A Pro Matre Paulista inaugurou, no início de dezembro, sua nova estrutura de Pronto-Atendimento. Além da ampliação do espaço, o serviço passou a diferenciar o atendimento de pacientes que se internam para procedimentos eletivos daquelas que recorrem à maternidade com episódios como sangramento e bolsa rota, por exemplo.

Na estrutura anterior, o Pronto-Atendimento contava com quatro consultórios. Agora, são seis salas, possibilitando a otimização do processo e reduzindo o tempo de atendimento. As pacientes que chegam à maternidade para a realização de procedimentos agendados vão se beneficiar de um espaço próprio. Depois de passarem pela internação, serão encaminhadas para a admissão, onde serão atendidas por uma das enfermeiras do serviço, responsáveis pela triagem.

Na sequência, já passarão pela consulta pré-operatória, com um dos anestesistas da instituição, sendo posteriormente encaminhadas para o apartamento ou diretamente para o centro obstétrico. No caso das pacientes que recorrem à Pro Matre com queixas, como sangramento, dor, mal-estar ou bolsa rota, entre outros, o atendimento será diferente, assim como o espaço para acolhê-las. Logo que se apresentarem na recepção, serão encaminhadas para uma triagem, na qual será feita uma classificação de risco.

Em seguida, passarão pela avaliação de um obstetra. O processo também ficou mais ágil caso haja necessidade de realizar exames para definição do diagnóstico – ultrassom, por exemplo -, pois as estruturas ficaram próximas nessa nova configuração.

Alteração de humor na TPM piora na gestação: mito ou verdade?

As mudanças hormonais também podem causar alteração de humor durante a gravidez

Verdade. Algumas mulheres têm o humor bastante alterado na fase de tensão pré-menstrual TPM. A instabilidade emocional é tão grande que elas transitam do choro ao riso, em um curto intervalo de tempo. Quem nunca sentiu aquela vontade repentina de desaparecer quando estava nesses dias?

Geralmente, quando essa instabilidade emocional já faz parte da mulher, isso se acentua na gestação. Se ela tem algum indício de depressão, ele também é acentuado depois que nasce o bebê”, explica Salete Arouca, psicóloga da Pro Matre Paulista.

Os parceiros devem ter ainda mais paciência nessa época. Eles devem entender que as companheiras não estão daquele jeito porque querem. São as alterações hormonais que acentuam essa instabilidade hormonal. Procure relaxar e esclareça todas as suas dúvidas. A informação é o principal trunfo contra a ansiedade.

O crescimento do bebê é influenciado apenas pela genética: mito ou verdade?

Fatores externos também determinam o crescimento do bebê

Mito. Segundo Dr. Heiki Mori, neonatologista da Pro Matre Paulista, dois fatores influenciam o crescimento da criança. “Os intrínsecos (geneticamente determinados, metabólicos e malformações) e os extrínsecos, dentre os quais se destacam a alimentação, a saúde, a higiene, a habitação e os cuidados gerais com a criança”, acrescenta o médico.

Como todos esses fatores variam de uma criança para outra, a avaliação do crescimento deve ser individualizada e feita por um pediatra. O acompanhamento será baseado na curva de crescimento. Caso ela esteja no percentil mais baixo, ele investigará os fatores extrínsecos e intrínsecos e, se for necessário, poderá encaminhar a criança para orientação de um endocrinologista pediátrico.

Um caso especial é observado em bebês nascidos prematuramente. Em geral, eles atingem a curva dos bebês nascidos a termo, entre 6 a 9 meses de idade. “Porém, aqueles que tiveram algum fator de restrição do crescimento intrauterino, muitas vezes não conseguem atingir as curvas, tanto no peso quanto no comprimento, sendo necessário acompanhamento especializado com endocrinologistas pediátricos.

Ao longo da infância, a família deve manter uma rotina de visitas ao pediatra, entre outras necessidades, para acompanhar o crescimento. A primeira consulta deve acontecer no máximo uma semana após a alta da maternidade (bebês prematuros devem ser avaliados antes desse prazo). Retornando novamente após 15 dias, 30 dias e manter visitas mensais até completar um ano.

Cólicas podem aparecer nas primeiras semanas: mito ou verdade?

Bebê chorando com cólica: pais angustiados

Verdade. Geralmente as cólicas são uma das situações mais angustiantes para os pais. Contrações irregulares e dolorosas no intestino são manifestadas por choro agudo, flexão das pernas e endurecimento da barriga, que às vezes melhora com a eliminação de gazes ou fezes.

As cólicas iniciam a partir da primeira semana e podem perdurar até o 3º ou 4º mês de vida. Medidas caseiras, como massagens, aquecimento e colocar o bebê de bruços são eficazes. Nunca use medicamentos sem orientação médica, e a qualquer suspeita de algo fora normal consulte um pediatra.

Dicas como esta você encontra no “Espaço Família”, no site Pro Matre Paulista. Que tal aproveitar o fim de semana para navegar por lá? Acesse!

Cerclagem pode evitar abortamentos: mito ou verdade?

O procedimento geralmente é feito ainda no primeiro trimestre da gestação

Verdade. Algumas mulheres têm dificuldade de preservar a gestação até o final. Esse problema pode estar relacionado com uma complicação denominada incompetência istmo-cervical, situação em que o colo do útero dilata antes do tempo e a mulher tem um aborto espontâneo.

“Por definição, essa incapacidade é caracterizada com três ou mais perdas seguidas. Atualmente, não tem sentido permitir que uma mulher chegue a essa situação”, explica o Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista. Segundo o especialista, a cerclagem – técnica em que o médico dá um ponto no útero entre a 13ª e a 16ª semana de gestação – é uma solução possível para esse problema.

Para as mulheres que dilatam o colo antes de 20 semanas, geralmente, os médicos já indicam o procedimento na segunda gestação, depois de verificar se está tudo bem com o bebê. “Muitas pacientes conseguem trabalhar, outras são afastadas, pois a prioridade é a gestação. Neste caso, ela terá que repousar e acompanhar a gestação ainda mais de perto. Ao longo da gestação, é prescrito um hormônio vaginal para o colo do útero não abrir de novo”, detalha o obstetra.

Para quem já fez a técnica na primeira gestação e deseja engravidar novamente, é preciso repeti-la. “Existe até uma cerclagem permanente que é feita por videolaparoscopia ou por abertura da barriga, como se fosse um corte de cesárea. Nesse procedimento, é colocada uma fita cardíaca, reduzindo o risco de infecção”, esclarece. Verifique com o seu obstetra se você está apta a se submeter a esse procedimento, e qual é a técnica mais indicada para o seu caso.

Gestantes precisam ingerir cálcio: mito ou verdade?

O cálcio está presente no leite e em seus derivados

Verdade. Durante a gestação, a mulher precisa ingerir muitos nutrientes importantes para o desenvolvimento do feto. Muitas pessoas acreditam que a futura mamãe precisa tomar bastante leite para não faltar cálcio para o a formação dos ossos do bebê.

“Na verdade, o bebê dificilmente vai ter deficiência de cálcio porque, o que ele precisar, irá ‘roubar’ da mãe. É ela que fica com deficiência”, explica Luciana Costa, nutricionista da Pro Matre Paulista.

Essa deficiência de cálcio pode provocar alguns incômodos na gestante.   “Às vezes, ela pode ficar com sangramento na gengiva, dor no dente, entre outros sintomas. Se ela não consome, é importante ela começar a consumir leite; cerca de duas ou três porções, no máximo”, orienta.

Atualmente, a maioria dos obstetras costuma receitar suplementos vitamínicos e de minerais para garantir todos os nutrientes necessários à mulher nesse período. Lembre sempre de procurar um obstetra e um nutricionista para esclarecer todas as suas dúvidas sobre alimentação.

Conheça Beatriz, uma guerreira nascida na Pro Matre

Chamada para a reportagem no Fantástico

No último domingo, o Fantástico exibiu uma reportagem sobre a pequena Beatriz, de dez meses, que nasceu na Pro Matre Paulista, com apenas 345 gramas.

A batalha do bebê prematuro pela vida trouxe muita apreensão aos pais, mas sua evolução foi um presente extra, como explica a mãe, Daniela, na reportagem.

Acesse o site da Pro Matre Paulista e conheça esta história.