No carro, lugar de bebê é no colo: mito ou verdade?

Para cada idade, uma forma adequada de transportar a criança no carro

Mito. Muita gente pensa que a melhor maneira de levar o bebê é no colo. Que engano! Além do impacto da projeção que a criança pode sofrer, ainda há o risco de esmagamento causado pelo adulto que tem a criança no seu colo.

Ao sair da maternidade (e até a criança completar um ano de idade), o correto é o transporte em cadeirinhas de segurança, tipo bebê conforto, sempre presas pelo cinto de segurança do carro e de costas para o movimento do carro.

Veja a orientação correta para o transporte das crianças:

DE 0 A 1 ANO

Nesta faixa etária (incluindo o recém-nascido), o certo é o transporte em cadeirinhas de segurança, tipo bebê conforto, sempre presas pelo cinto de segurança do carro e de costas para o movimento do carro.

DE 1 A  4 ANOS

As crianças devem ser transportadas em cadeirinhas presas pelo cinto de segurança. A posição mais segura é no centro do banco traseiro.

DE 4 A 10 ANOS

As crianças com idade superior a quatro anos e inferior ou igual a sete anos e meio deverão utilizar o dispositivo de retenção denominado assento de elevação ou buster”, segundo determina o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN). Contudo, esta recomendação é válida até os 10 anos, visto que os cintos de segurança dos carros, em geral, são projetados para pessoas com mais de1,45 cm e estes assentos de elevação permitem adequar a altura da criança para o uso correto do cinto de segurança no ombro e na cintura.

Gostou da dica? Há muitas outras, no site da Pro Matre Paulista, no Espaço Família. Acesse!

Pré-natal pode evitar doenças graves na gestação: mito ou verdade?

As consultas mensais, até o sétimo mês, permitem o acompanhamento de sinais como a pressão arterial da gestante

Verdade. A gravidez é marcada por diversas mudanças e alterações no organismo da mulher. O pré-natal adequado é fundamental para identificar precocemente alguns problemas simples e até evitar doenças mais graves que possam colocar em risco a saúde da mãe e/ou do bebê.

Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista, diz que o primeiro passo é planejar a gestação. É importante atentar para a saúde da mulher, peso, alimentação e hábitos saudáveis antes de engravidar. “Uma vida regrada e saudável diminui as chances de aparecimento de doenças típicas da gestação. Outro ponto a ser observado é o histórico pessoal e familiar de hipertensão ou diabetes, por exemplo. Isso pode ser determinante para um pré-natal eficiente”, explica o médico.

O segundo passo é fazer o acompanhamento correto, seguindo a periodicidade recomendada pelo obstetra. “Consultas regulares minimizam os problemas. O ideal é que essas visitas aconteçam mensalmente até o sétimo mês de gestação, passando a ser quinzenais no oitavo e semanais no nono mês”, afirma Dr. Leite. Nessas consultas, serão observadas as condições físicas e clínicas da gestante e do bebê, bem como o controle de eventuais problemas que podem surgir no decorrer da gravidez.

As principais doenças da gestação são infecção de urina, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia ou doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG), anemia e distúrbios da tireóide.

É comum que o bebê desenvolva icterícia: mito ou verdade?

O banho de luz é o tratamento indicado para crianças com icterícia

Verdade. Uma das ocorrências mais comuns nos bebês, ainda na fase de internação, é a icterícia, que se dá quando existe acúmulo no sangue de um pigmento produzido naturalmente pelo nosso organismo, chamado bilirrubina. Este pigmento é metabolizado pelo fígado e eliminado através das fezes e da urina.

“Frequentemente, ocorre um aumento de bilirrubina nos bebês entre o segundo e terceiro dias de vida, porque seu organismo ainda é imaturo para eliminar este pigmento”, comenta o neonatologista Dr. Francisco Dutra, da Pro Matre Paulista. O tratamento para a icterícia é a fototerapia (o chamado “banho de luz”), o que às vezes leva o bebê a ficar internado um dia a mais na maternidade.

Uma importante medida para controlar a icterícia é a amamentação. O bebê ictérico deve ser amamentado várias vezes ao dia, nos primeiros dias de vida. Isso ajuda a mãe a produzir mais leite, a hidratar o bebê e também ajuda reduzir a bilirrubina, facilitando sua eliminação pelas fezes.

 

Novo Pronto Atendimento da Pro Matre Paulista

A Pro Matre Paulista inaugurou, recentemente, sua nova estrutura de Pronto-Atendimento. Além da ampliação do espaço, o serviço passou a diferenciar o atendimento de pacientes que se internam para procedimentos eletivos daquelas que recorrem à maternidade com episódios como sangramento e bolsa rota, por exemplo. Na estrutura anterior, o Pronto-Atendimento contava com quatro consultórios.

Agora, são seis salas, possibilitando a otimização do processo e reduzindo o tempo de atendimento. As pacientes que chegam à maternidade para a realização de procedimentos agendados vão se beneficiar de um espaço próprio. Depois de passarem pela internação, serão encaminhadas para a admissão, onde serão atendidas por uma das enfermeiras do serviço, responsáveis pela triagem.

Na sequência, já passarão pela consulta pré-operatória, com um dos anestesistas da instituição, sendo posteriormente encaminhadas para o apartamento ou diretamente para o centro obstétrico.

No caso das pacientes que recorrem à Pro Matre com queixas, como sangramento, dor, mal-estar ou bolsa rota, entre outros, o atendimento será diferente, assim como o espaço para acolhê-las. Logo que se apresentarem na recepção, serão encaminhadas para uma triagem, na qual será feita uma classificação de risco. Em seguida, passarão pela avaliação de um obstetra. O processo também ficou mais ágil caso haja necessidade de realizar exames para definição do diagnóstico – ultrassom, por exemplo -, pois as estruturas ficaram próximas nessa nova configuração.

Com a nova estrutura, o Pronto-Atendimento da Pro Matre Paulista passa a oferecer acesso otimizado, redução no tempo de atendimento, além de reforçar a sua humanização, recebendo de maneira diferente grupos de pacientes diversos. As melhorias na área não vão terminar aqui: em breve, o Pronto-Atendimento também será beneficiado com uma nova sala de medicação e com a nova localização da UTI Adulto da maternidade.

Gestantes devem evitar longas viagens: mito ou verdade?

Se for viajar de carro, o ideal é sentar-se no banco dianteiro, afivelando o cinto de três pontos

Verdade. Longas viagens são contra-indicadas a gestantes por conta do desconforto que este período proporciona, especialmente nos últimos meses de gravidez. Entretanto, se a mulher se sentir bem, não há problema em viajar de avião até o sexto mês. É importante usar meia elástica para evitar problemas circulatórios, como trombose e inchaço de membros inferiores, além de consumir bastante líquido e caminhar a bordo.

De carro, as viagens geralmente são permitidas até o sétimo mês de gestação. Procure viajar no banco dianteiro com o cinto de segurança de três pontos, fazer paradas a cada duas horas para caminhar e ir ao banheiro. O uso de  meia elástica também pode ajudar no conforto da viagem e evitar problemas.

Nesse período de Verão, a opção de lazer podem ser os parques aquáticos. Não há nenhuma objeção em relação à ida da gestante a esses locais,  desde que a gestação não seja de risco. Uma dica é optar pelas piscinas comuns ou com ondas, evitar tobogãs e não se esquecer do protetor solar.

Segundo Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista, um ponto importante nesses momentos é a exposição ao sol. O ideal é utilizar protetor solar acima do fator 30 na região do rosto e no abdômen, a cada duas horas, para evitar o aparecimento de manchas. Também não se esqueça de ingerir de dois a três litros de água por dia.

 

 

 

 

Gêmeos prematuros não podem ser amamentados: mito ou verdade?

O aleitamento materno é um importante aliado para o desenvolvimento dos bebês, inclusive os gêmeos

Mito! Maternidades estruturadas, como a Pro Matre Paulista, possibilitam que as mães de gêmeos retirem e armazenem seu próprio leite, contribuindo de forma decisiva no desenvolvimento dos bebês. “Quando ainda são muito pequenos e não têm condição de sugar, os prematuros são alimentados na UTI com o leite da mãe por meio de uma técnica que utiliza copinhos, com o intuito de estimular o aleitamento materno exclusivo”, explica Dra. Edinéia Vaciloto Lima, neonatologista coordenadora da UTI Neonatal da Pro Matre Paulista.

Superada essa fase, a mãe pode iniciar a adaptação do aleitamento direto no seio, e em geral é capaz de amamentar ambos durante o período indicado de pelo menos seis meses.

O desenvolvimento de gêmeos (trigêmeos e até quadrigêmeos) está muito vinculado à idade gestacional com que vieram ao mundo. Os chamados pré-termo tardios (nascidos com mais de 34 semanas) normalmente não demoram a ganhar peso e em poucos meses atingem o desenvolvimento dos bebês nascidos no tempo esperado.

Já os nascidos com menos de 34 semanas de gestação podem demorar mais tempo (até 18 meses de vida) para atingir o padrão normal de peso e comprimento. Entre gêmeos, as diferenças de desenvolvimento também estarão ligada a idade gestacional, tamanho e peso que eles nascerem, e  podem ser diferentes entre os irmãos.

Pro Matre no YouTube: conheça nosso canal

Você sabia que a Pro Matre Paulista tem um canal no Youtube?

Lá, você encontra diversos vídeos, com dicas sobre Pediatria, Nutrição, Psicologia, Amamentação, além de vídeos institucionais, presença da Pro Matre na mídia e datas comemorativas.

Aproveite o final de semana e navegue pela nossa página.

Acesse!

Gestante precisa suplementar cálcio: mito ou verdade?

O leite é uma das principais fontes de cálcio na alimentação

Verdade. Durante a gestação, a mulher precisa ingerir muitos nutrientes importantes para o desenvolvimento do feto. Na primeira consulta de pré-natal, geralmente os obstetras indicam complementos de vitaminas e minerais para serem consumidos durante a gestação.

Muitas pessoas acreditam que a futura mamãe precisa tomar bastante leite para não faltar cálcio para o a formação dos ossos do bebê. “Na verdade, o bebê dificilmente vai ter deficiência de cálcio porque, o que ele precisar, irá ‘roubar’ da mãe. É ela que fica com deficiência”, explica Luciana Costa, nutricionista da Pro Matre Paulista.

Essa deficiência de cálcio pode provocar alguns incômodos na gestante. “Às vezes, ela pode ficar com sangramento na gengiva, dor no dente, entre outros sintomas. Se ela não consome, é importante ela começar a consumir leite; duas ou três porções, no máximo”, orienta. Lembre sempre de procurar um obstetra e um nutricionista para esclarecer todas as suas dúvidas sobre alimentação.

Gestantes workaholics podem ter mais problemas na gravidez: mito ou verdade?

Trabalhar não faz mal: o estresse e o sedentarismo é que são os vilões

Verdade. Atualmente, vivemos em um mundo estressante e cheio de estímulos prejudiciais à saúde. Muitas vezes, as pessoas dizem que não encontram tempo para praticar atividades físicas, e mantêm péssimos hábitos, como alimentação desequilibrada e tabagismo. Para as gestantes, essa dinâmica acelerada pode ser ainda pior.

“Estamos vendo crescer esse perfil no consultório. A mulher de hoje é responsável por metade da renda da casa. Em alguns casos, ganha mais que o marido. Por isso, não pode abandonar a profissão quando fica grávida. Nesse contexto, muitas mulheres estão engravidando mais tarde, dando prioridade carreira profissional”, alerta Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista.

Os maus hábitos contribuem para piorar os efeitos dessa rotina acelerada para a saúde da futura mamãe. “O sedentarismo e o sobrepeso, por exemplo, são quadros habituais de hoje. Quando a mulher engravida, ela terá o efeito compressivo do útero no sistema cardiovascular. O sangue não circula como antes, aumentam as chances de vasodilatação, inchaços, falta de ar e uma série de outras complicações. Para as que estão acima do peso, isso é ainda pior”, explica. Além disso, o estresse é relacionado a uma das causas para o envelhecimento placentário e o parto prematuro.

Manter uma alimentação equilibrada e praticar a atividade física regular é essencial para ter uma gravidez sem tantas complicações e riscos para a mamãe e para o bebê. É preciso lembrar que as gestantes devem sempre consultar seu obstetra antes de fazer qualquer exercício físico.