É normal o bebê desenvolver icterícia: mito ou verdade?

O banho de luz, também conhecido como fototerapia, é o tratamento para a icterícia

Verdade. Uma das doenças mais comuns no recém-nascido é a icterícia. Ela ocorre quando existe acúmulo no sangue de um pigmento produzido naturalmente pelo nosso organismo, chamado bilirrubina, que é metabolizado pelo fígado e eliminado através das fezes e da urina.

Frequentemente, ocorre um aumento de bilirrubina entre o segundo e o terceiro dia de vida, isso porque o organismo do bebê ainda é imaturo para eliminar este pigmento. É possível detectá-la observando sua pele, que fica mais amarelada.

Tão normal quanto a icterícia é ter uma porção de dúvidas quando o bebê ainda está na barriga ou acabou de nascer. Afinal, é uma mudança radical na vida da família e os pais ainda precisam se acostumar à nova fase. Para ajudá-los, a Pro Matre Paulista criou seu Espaço Família, no site da maternidade.

Dicas como esta estão lá, além de várias informações sobre a saúde da futura mamãe e também orientações para o papai. Acesse!

Método Canguru auxilia no desenvolvimento de prematuros: mito ou verdade?


O contato do bebê com a pele do pai ou da mãe favorece seu desenvolvimento

Verdade. Pequeno, frágil, indefeso, dá até medo de segurar. Se seu filho nascer prematuro, pode esquecer esse receio e pegue-o no colo. Mais do que isso: segurar o bebê, em contato direto com sua pele, não é só um gesto de carinho, mas uma técnica comprovada para auxiliar o desenvolvimento das crianças que nascem antes do tempo. É o chamado Método Canguru, utilizado regularmente na Pro Matre Paulista.

O método, que pode ser realizado pela mãe ou pelo pai, alternando-se na função, é muito simples: o bebê é colocado sobre a pele do peito ou da barriga dos pais, seguro por faixas. O simples contato da pele promove troca de hormônios e estimula o desenvolvimento da criança como se ela estivesse no útero, recuperando o tempo de desenvolvimento que deixou de ter nesse ambiente aconchegante, em função do parto antecipado.

A metodologia começou a ser utilizada há mais de 30 anos na Colômbia, por uma equipe do Instituto Materno-Infantil de Bogotá, implantado pelo médico Héctor Martínez. Os motivos do sucesso do método vão além dos aspectos psicológicos. “No colo, a criança fica mais calma, há a troca da flora de bactérias e de anticorpos entre mãe e filho. Melhoram a parte física, o ganho de peso, e o vínculo afetivo”, diz Dra. Edinéia Vaciloto Lima, neonatologista da maternidade Pro Matre Paulista.

Se, antes, o bebê de baixo peso ficava na incubadora até atingir 2 kg, hoje ele pode ir para o colo da mãe (ou do pai) a partir de 1,250 kg, desde que não tenha nenhuma restrição médica. Para realizar o Método Canguru, porém, não basta que o bebê tenha determinado peso. “Sabemos o quanto o método é bom, mas é importante haver estabilidade clínica para evitar riscos”, diz Edinéia. Por isso, há prematuros maiores que não podem deixar a incubadora, enquanto outros menores, mesmo com sonda, vão para o colo da mãe.

A Pro Matre Paulista utiliza o Método Canguru regularmente, envolvendo mamães e papais nos cuidados de seus prematuros, com excelentes resultados e reforço do vínculo familiar.

Recém-nascidos já têm o olfato aguçado: mito ou verdade?

Quando o bebê estiver maior, vale a pena deixá-lo na cozinha, enquanto prepara os alimentos

Verdade. O olfato é o mais avançado, entre os cinco sentidos presentes em bebês. Já no momento do nascimento, ao contrário da acuidade visual, audição ou tato (que requerem algum tempo para se aprimorarem), o sentido do olfato é bastante desenvolvido, e também através do cheiro uma criança reconhece sua mãe. “É pelo cheiro que ele percebe sua presença, até mesmo no escuro”, comenta Dr. Paulo Roberto Pachi, neonatologista da Pro Matre Paulista.

Com o tempo, ela começa a reconhecer o cheiro de outros membros da família. Rapidamente, reconhece o cheiro da papinha e das frutas. Com o tempo, ele desenvolve uma compreensão de todos os cheiros ao seu redor.

Por terem o olfato tão aguçado, bebês não devem ser expostos a odores muito fortes, como perfumes e demais cosméticos, produtos de limpeza e muito menos fumaça de cigarro. O bebê também pode ter seu apetite estimulado pelo cheiro. Quando possível, deixe-o na cozinha enquanto prepara a comida. Se abre o seu apetite, por que não funcionaria com ele?

 

Aumentou o número de gestações de risco: mito ou verdade?

O estresse é um dos fatores que podem aumentar os riscos em uma gestação

Verdade. A vida urbana, com excesso de compromissos, trânsito, poluição ambiental, alimentação inadequada, cedo ou tarde traz reflexos à saúde, e as gestantes não estão imunes a esse panorama. As gestações de risco aumentaram muito nos últimos anos e, para responder a esse novo desafio, a maternidade Pro Matre Paulista dispõe de uma Unidade de Terapia Sem-Intensiva.

O foco do serviço é tratar as patologias mais frequentes na gestação, como a DHEG (Doença Hipertensiva Específica da Gestação), o trabalho de parto prematuro e a ruptura prematura de membranas. O perfil de pacientes com maior potencial para esses riscos são mulheres na faixa acima de trinta anos de idade. Além dos fatores ambientais, as gestações mais tardias também têm contribuído para aumentar os riscos na gravidez.

O serviço de Terapia Semi-Intensiva da Pro Matre Paulista acolhe, principalmente, gestantes com idade gestacional mais próxima do final da gravidez. Manter essa paciente internada, com monitorização constante, geralmente possibilita estender mais a gravidez, o que é importante para a vitalidade fetal e ajuda a evitar partos prematuros.

Esse dado tem se mostrado particularmente importante no universo da prematuridade: quanto mais próximo do termo chegar a gestação, menor tende a ser a internação do prematuro na UTI Neonatal.

Para saber mais sobre esta e sobre outras estruturas da Pro Matre Paulista, acesse o site da maternidade e conheça muito mais sobre a mais tradicional maternidade do Brasil.

É possível evitar abortos seguidos: mito ou verdade?

A técnica da cerclagem evita a dilatação precoce do colo do útero

Verdade. Em alguns casos, a mulher engravida mas não consegue manter a gestação. Quando esse problema estiver relacionado com uma complicação denominada incompetência istmo-cervical, o colo do útero dilata antes do tempo e a mulher tem um aborto espontâneo. Já existe uma técnica cirúrgica para reduzir os riscos relacionados a esse problema.

“Por definição, essa incapacidade é caracterizada com três ou mais perdas seguidas. Atualmente, não tem sentido permitir que uma mulher chegue a essa situação”, explica Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista. Segundo o especialista, a cerclagem – técnica em que o médico dá um ponto no útero entre a 13ª e a 16ª semana de gestação – é uma solução possível para esse problema.

Para as mulheres que dilatam o colo antes de 20 semanas, geralmente, os médicos já indicam o procedimento na segunda gestação, depois de verificar se está tudo bem com o bebê. “Muitas pacientes conseguem trabalhar, outras são afastadas, pois a prioridade é a gestação. Neste caso, ela terá que repousar e acompanhar a gestação ainda mais de perto. Ao longo da gestação, é prescrito um hormônio vaginal para o colo do útero não abrir de novo”, detalha o obstetra.

Para quem já fez a técnica na primeira gestação e deseja engravidar novamente, é preciso repeti-la. “Existe até uma cerclagem permanente que é feita por videolaparoscopia ou por abertura da barriga, como se fosse um corte de cesárea. Nesse procedimento, é colocada uma fita cardíaca, reduzindo o risco de infecção”, esclarece. Verifique com o seu obstetra se você está apta a se submeter a esse procedimento, e qual é a técnica mais indicada para o seu caso.

Bebês já nascem com o tato aguçado: mito ou verdade?

Massagens no bebê costumam acalmá-lo e aumentar o vínculo com dele com os pais

Verdade. O tato é um dos cinco sentidos muito aguçados no bebê desde o nascuimento. De fato, bebês pequenos gostam de ser tocados. Eles adoram receber massagem e dormir no colo, pois o toque pessoal faz com que se sintam mais seguros. A fim de explorar tudo que os rodeia, tendem, quando atingem o 3º ou 4º mês de vida, a colocar tudo o que alcançam na boca, pois além da satisfação do sentido primitivo da oralidade, podem tocar os objetos com a língua, que tem enormes propriedades sensitivas.

O tato é tão importante para o recém-nascido que esta constatação contribui até mesmo no tratamento de bebês prematuros, com o chamado Método Canguru, pelo qual o bebê passa algumas horas do dia em contato direto com o peito da mãe, fixado a ela por faixas. Na Pro Matre Paulista, o Método Canguru é utilizado regularmente na UTI Neonatal, envolvendo inclusive os pais no processo.

Habitualmente após o 4º mês de vida, a criança adquire a habilidade de apanhar os objetos e é, a partir de então, que devemos estimulá-la no sentido de explorar formas, cores, e pesos variados, além de induzir a uma interação através de brinquedos que “respondam” às suas manipulações, como por exemplo os chocalhos.

É possível reduzir o desconforto na gravidez: mito ou verdade?

A escolha da posição certa para dormir aumenta o conforto da gestante

Verdade. Para um bom sono no período de crescimento da barriga, o ideal é deitar de lado, do esquerdo de preferência, e com um travesseiro entre as pernas para facilitar o fluxo de sangue e de nutrientes para a placenta, que estimula a função renal. Não se preocupe se acordar deitada de barriga ou de costas, apenas volte a deitar-se de lado.

Alterações no sistema respiratório, como falta de ar, além de congestão e sangramento nasal, são outros sintomas que podem incomodar as gestantes. Intestino preso e ocorrência de gases também surgem ou se intensificam nesse período.

E, à medida que se ganha peso, o inchaço nas pernas e o surgimento de varizes também podem acontecer. O ideal é evitar longos períodos em pé ou sentada, movimentando-se de vez em quando, além do uso de meia elástica, que ajuda a diminuir o desconforto e a reduzir inchaços e varizes.

Dicas como estas fazem parte do Guia de Saúde, no Espaço Família do site da Pro Matre Paulista. E a família toda está contemplada lá. Além de dicas para a futura mamãe, também há orientações para os cuidados com o bebê e um conteúdo especial para os futuros papais. Acesse!

Pro Matre Paulista recebe principal certificação mundial de qualidade

Selo que atesta a certificação da JCI por uma instituição de Saúde

A maternidade Pro Matre Paulista recebeu recentemente a certificação da Joint Commission International (JCI), principal entidade mundial do segmento de qualidade em instituições hospitalares e segurança do paciente.

Com quase oitenta anos de história, a Pro Matre Paulista é hoje a mais tradicional maternidade da cidade de São Paulo. A primeira certificação da Pro Matre Paulista no aspecto da qualidade foi concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). Desde 2005, a maternidade mantém a certificação de excelência, a mais alta nos critérios da ONA.

Partir do estágio de reconhecimento nacional para um nível de padronização internacional era um caminho lógico para a maternidade. A certificação pela JCI baseia-se em catorze padrões, que cobrem todo o processo de atendimento do paciente em uma instituição de Saúde.

Gestante precisa tomar ainda mais cuidado com doenças de outono: mito ou verdade?

Cuidado, futuras mamães: seu obstetra deve avaliar as medicações indicadas no caso de gripes e outras doenças típicas da estação

Verdade.  No caso da gestante, o cuidado com doenças como gripes, rinites e outros males do trato respiratório tem que ser redobrado, uma vez que a administração de medicamentos é realmente limitada.Segundo a obstetra Dra. Carla Ferreira Kikuchi, é importante uma orientação do médico que acompanha a grávida para avaliar a necessidade de medicações. “Geralmente, repouso relativo e hidratação são os procedimentos mais recomendados”, diz a médica.

Outra dúvida muito comum das gestantes diz respeito à vacina contra gripe. Ela não só é permitida como altamente recomendável, já que as gestantes fazem parte do chamado grupo de risco, que inclui idosos e crianças. “A vacinação contra a gripe diminui a chance de complicação, inclusive de sinusite e pneumonia”, diz Dra. Carla. A proteção do bebê também é feita de forma indireta por meio dessa vacinação, conferindo imunidade ao recém-nascido durante os seis primeiros meses de vida. A gestante pode tomar a vacina tranquilamente, sem risco de efeitos colaterais, desde que não tenha alergia a ovo.

No caso de asma e rinite, o acompanhamento do obstetra e do pneumologista é indispensável, principalmente para a administração de medicamentos específicos. “Além disso, medidas simples como o controle ambiental, evitando o contato com alérgenos – ácaros e odores fortes – e mudanças bruscas de temperatura podem ser medidas preventivas, garantindo uma gestação mais agradável”, explica a médica.

Logo que nasce, o bebê só enxerga “de perto”: mito ou verdade?

Ao nascer, o bebê enxerga em um campo de visão de oito a dez centímetros

Verdade. A visão se desenvolve com o passar do tempo, sendo que, após o nascimento, o bebê é capaz de ver objetos dentro de uma faixa entre oito e dez centímetros dos olhos. O recém-nascido também reconhece facilmente as cores preta, branca e vermelha. “Com o tempo, seu campo de visão e compreensão de cor também se desenvolve”, afirma Dr. Paulo Pachi, neonatologista da Pro Matre Paulista.

Os bebês são curiosos sobre tudo que os rodeiam, desde o nascimento: gostam de olhar para as cores brilhantes no berço e para o rosto de sua mãe, o que costumam fazer repetidamente. Não é à toa que, entre as primeiras coisas que os bebês aprendem a reconhecer esteja o rosto de sua mãe.

Notadamente após o 3º mês, quando o campo visual nas três dimensões se amplia rapidamente, é recomendável que se deixe a partir de então, sempre que possível, a criança sentada (com um apoio a 45 graus). Isso permite que ela possa ver o mundo ao seu redor de uma perspectiva mais abrangente, o que fica limitado se o lactente permanecer deitado todo o tempo.