Banho de Sol para o Bebê no Inverno: O Que Muda?

A rotina do banho de sol para o bebê, importante para evitar o raquitismo e fortalecer os ossos da criança, devido à ativação da vitamina D, que auxilia na absorção do cálcio, deve ser alterada com a chegada do inverno?

Luciana da Costa, nutricionista da Pro Matre Paulista, deu orientações a respeito para o site Click Bebê.

“A alimentação é responsável por suprir apenas 20% a 30% das necessidades diárias de vitamina D,” explica a especialista. “O restante vem do suplemento da vitamina e da própria exposição solar. Por isso, a alimentação, o medicamento e a exposição solar precisam ser realizadas de forma contínua durante o primeiro ano de vida.”

Quanto às mudanças para a estação mais fria, Luciana esclarece que os horários são os mesmos que no verão: antes das 10h da manhã ou depois das 16h. Não é porque o dia está nublado que o perigo da radiação solar diminui. “A exposição ao sol para a síntese de vitamina D deve ocorrer com o bebê vestido – apenas face e mãos expostas, sem chapéu durante três vezes por semana,” recomenda Luciana. No inverno, como a criança fica com o corpo menos exposto, o banho de sol pode ser um pouco mais longo, durante cerca de 15 minutos.

Quer saber mais sobre o assunto? Clique aqui e leia a reportagem completa do Click Bebê.

Gestante não pode tomar sol: mito ou verdade?

Mito. O sol é muito importante para todas as pessoas e isso vale também para as gestantes. No entanto, para aproveitar os benefícios do sol sem prejudicar a saúde da pele, é preciso tomar alguns cuidados.

Dra. Flavia Ravelli, dermatologista da Pro Matre Paulista, esclarece algumas dúvidas e indica os cuidados necessários para a grávida no Verão.

Acompanhe neste vídeo especial. Acesse!

Gestante deve redobrar os cuidados com a pele no Verão: mito ou verdade?

Verdade. O Verão está chegando e, com ele, os cuidados com a pele devem ser ainda maiores. E isso deve ser observado ainda com mais atenção pelas gestantes. A dermatologista da Pro Matre Paulista, Dra. Flavia Ravelli, oferece uma série de dicas para grávidas, com foco nesta época do ano.

Acesse o canal da Pro Matre Paulista no YouTube e acompanhe dicas sobre o uso correto do filtro solar, como evitar manchas, cuidados com a oleosidade e muito mais.

Confira!

Gestante pode usar creme com ácido: mito ou verdade?

Depende. Muitos dos cremes anti-idade disponíveis no mercado são potencialmente causadores de má-formação, como os que levam ácido retinoico. O ideal é que a mulher faça a higiene com sabonete específico para a sua pele, de preferência um indicado pelo seu médico, e use vitamina C, que não tem contraindicações e ajuda a prevenir melasma gestacional e rugas. Dra. Flávia Ravelli, dermatologista da Pro Matre Paulista, ressalta que nem todos os ácidos estão proibidos. “Após o terceiro mês, ácido ascórbico, ácido láctico, ácido glicólico, ácido kójico e ácido azeláico podem ser usados, desde que em concentrações adequadas.”

Em relação aos cabelos, os cuidados do dia a dia não mudam tanto, só é preciso atenção redobrada à formulação dos produtos: utilize xampus suaves, de boa procedência e hipoalergênicos e evite secadores e chapinhas, que facilitam a quebra dos fios. Dra. Flávia afirma que, durante a gestação, observa-se um aumento nos níveis de progesterona, hormônio que deixa os fios sedosos, brilhantes, volumosos e muito bonitos.

“Por isso, em geral, é necessário fazer pouco em relação aos fios. Hidratação em casa ou em salões está liberada. Evite apenas aqueles xampus e condicionadores para tratamento de seborreia e que contenham o conservante parabeno”, defende.

Alisar cabelo é proibido na gestação: mito ou verdade?

Verdade. Os tratamentos para alisar os cabelos são sempre baseados em produtos químicos potentes, que podem prejudicar o desenvolvimento do feto, se a mãe fizer o procedimento durante a gestação.

Outros procedimentos de beleza, como utilização de cremes com ácido, peeling e tintura de cabelo também não são recomendados, pelo mesmo motivo. Como explica a dermatologista Dra. Flavia Ravelli, da Pro Matre Paulista, a gestação é uma fase de muitas transformações, inclusive na pele e no cabelo da mulher.

O uso de filtro solar, pelo contrário, não apenas é permitido, como totalmente recomendado. Para ler o conteúdo inteiro produzido pela revisa Crescer sobre cuidados com a beleza na gestação, clique aqui.

Gestante pode fazer esfoliação na pele: mito ou verdade?

Gestantes devem buscar informações sobre o que pode e o que não pode usar na pele

Verdade. Durante a gestação, as dúvidas sobre cuidados com a pele são muitas. Várias alterações na pele acontecem, inclusive pelas ações dos hormônios, mas a gestante dificilmente tem certeza do que pode e o que não pode usar nesse período.

Para ajudar a esclarecer algumas dessas dúvidas, a dermatologista da Pro Matre Paulista, Dra. Flavia Ravelli, fornece algumas orientações no terceiro vídeo da série, produzida pela maternidade.

Acesse aqui!

Gestante precisa de cuidados adicionais para a pele: mito ou verdade?

Verdade. O período da gestação é muito especial para a saúde da mulher, inclusive no que diz respeito à pele. E também é uma fase na qual a futura mamãe fica com muitas dúvidas sobre o que pode ou não fazer em relação a tratamentos e produtos que pode utilizar.

Para ajudar a responder essas questões, a Pro Matre Paulista preparou esta série de vídeos, com a dermatologista Dra. Flavia Ravelli, sobre o tema.

Acesse e saiba mais!

Hortaliças são ótimas para gestantes: mito ou verdade?

Verdade!

Qualquer folha verde, verdura, legume ou erva é considerada um alimento do grupo das hortaliças. As cores dessas hortaliças, em sua maioria, significam a presença de fitoquímicos – substância com propriedades que melhoram o funcionamento do organismo e previnem contra doenças. Por isso, recomenda-se o consumo de hortaliças de cores variadas, principalmente as verdes e as alaranjadas, que são ricas em betacaroteno, item importante para a saúde da pele. Veja alguns exemplos:

Hortaliças verde-escuras – acelga, agrião, alface, almeirão, aspargos, brócolis, couve, couve de Bruxelas, jiló, ervilha torta, espinafre, escarola, pimentão verde, quiabo, rúcula e vagem. São ricas em ácido fólico, um nutriente que o bebê irá precisar. “O fechamento do tubo neural do feto ocorre, normalmente, entre a segunda e a quarta semana de gestação, por isso é importante iniciar a suplementação do ácido fólico antes mesmo de engravidar”, explica o Dr. Hérbene Milani, especialista em Medicina Fetal do Grupo Santa Joana.

Hortaliças alaranjadas – abóbora, cenoura, pimentão amarelo; hortaliças ricas em amido – os chamados tubérculos são hortaliças, mas se diferenciam do grupo por apresentar um teor maior de carboidrato. Fazem parte do grupo: pães, batata, cará, inhame, mandioca e mandioquinha (batata-baroa).

Grávidas podem ter manchas, cravos e espinhas a mais na pele: mito ou verdade?

Verdade!

A cada mês de gestação, uma revolução está acontecendo no seu corpo. Dia a dia, seu bebê cresce e se modifica. Com isso, seu corpo vai se acostumando a elas e dando sinais externos da mudança.

Um cuidado que a grávida precisa ter é com o sol. “Nesse período, a mulher precisa de um cuidado a mais, porque ela possui um risco maior de pigmentar a pele por conta dos hormônios próprios da gestação. O fator de proteção solar deve ser mais alto. Pode variar de paciente para paciente, mas o ideal é que seja acima de 30”, afirma a Dra. Thais Adura Pepe, dermatologista da Pro Matre Paulista.

Nessa fase, também podem aparecer cravos, espinhas e aumento da oleosidade da pele, além de manchas no rosto, agravadas pela exposição ao sol ou a lâmpadas florescentes. É tudo normal, não se preocupe, pois isso ocorre devido às altas taxas hormonais que agem sobre a melanina, uma substância que estimula a pigmentação. Para não deixar marcas, evite “espremer” espinhas e cravos e o uso de produtos impróprios. Peça orientação ao seu obstetra e dermatologista.