Atenção à Depressão Infantil

Muitas vezes os pais a confundem com crises passageiras decorrentes da idade, mas a depressão é um problema sério e cada vez mais comum entre crianças.

Somente em 1970 a doença passou a ser reconhecida pela literatura médica e desde então os casos têm aumentado consideravelmente. Na última década, o índice de crianças entre 6 e 12 anos diagnosticadas com depressão infantil no mundo aumentou de 4,5% para 8%, segundo a Organização Mundial da Saúde.

É preciso que os pais fiquem atentos aos sintomas, conforme alerta Mariana Bonsaver, psicóloga da Maternidade Pro Matre Paulista. “Irritabilidade, alterações no padrão de sono e de alimentação, baixa autoestima, crises de choro, oscilações de humor, medo, agressividade e ansiedade são alguns dos principais sintomas”.

Outros sinais de que seu filho ou filha pode estar sofrendo de depressão são enurese e encoprese (emissões involuntárias de urina e fezes durante o sono), dores físicas e perda de interesse em atividades que a criança gosta de fazer.

Clique aqui e leia a reportagem completa no site da revista Claudia.

 

Tudo novo no Ano Novo

Sabe aquele soninho gostoso, depois do almoço, no sábado?

E o cinema na sexta à noite, jantarzinho romântico, papo com os amigos?

Ficar de bobeira no sofá, zapeando entre programas de receita e reality shows, ou encarando uma maratona de séries?

Dormir no domingo até a hora que quiser?

Não, você não precisa esquecer de tudo isso, riscar da sua vida para sempre.

Logo, a tarde de sábado, a noite de sexta, a manhã de domingo serão preenchidas por algo muito mais importante, desejado e especial que uma soneca, um cinema, uma manhã de preguiça.

Ele vai chegar trazendo seus genes e seus sonhos. Vai bagunçar sua casa e colocar sua vida de pernas pro ar. Em pouco tempo – muito pouco tempo – vai gostar de fazer a soneca com você, e de assistir TV com você, e de conhecer seus amigos.

E, antes que você perceba, vai fechar a porta do próprio quarto, vai escolher seus programas, vai ter seus próprios amigos. E a sua sensação vai ser de que passou rápido, mas ficou para sempre.

Um novo ano, um bebê, tudo de novo.

Feliz Ano Novo!

Silêncio ajuda na recuperação de prematuros: mito ou verdade?

UTI Neonatal da Pro Matre Paulista

Verdade. Sair da barriga da mamãe para enfrentar todas as atribulações deste mundo aqui fora já é motivo suficiente para estressar um bebê. Ainda mais quando ele resolve chegar ao mundo antes do tempo. Bebês prematuros, muitas vezes, dependem de longos períodos de internação em UTI Neonatal para tratar algum tipo de doença ou simplesmente ganhar peso e poder ir para casa. No dia a dia desses pequenos, o Horário do Psiu é um recurso fundamental.

É um método simples, de eficácia comprovada e aplicado com disciplina nas maternidades de referência, como é o caso da Pro Matre Paulista. Durante o dia, em horários diferentes, as luzes da nossa UTI Neonatal são apagadas e a atividade em torno dos leitos, bastante reduzida. O objetivo é criar um ambiente de sossego e aconchego, oferecendo aos bebês uma atmosfera mais calma e relaxante.

“Este método tem se mostrado eficiente na redução da dor dos prematuros e também do estresse, já que boa parte desses bebês tem de ser submetida a procedimentos diversos que podem gerar algum desconforto”, comenta Dra. Edinéia Vaciloto Lima, neonatologista da Pro Matre Paulista. Nossa maternidade é filiada à rede internacional Vermont Oxford, que permite a comparação dos resultados conquistados na assistência de recém-nascidos com menos de 1.500 g entre 800 UTIs neonatais do mundo.

Para saber mais sobre nossa UTI Neonatal, acesse o nosso site.

 

 

É possível reduzir o desconforto da gestação: mito ou verdade?

Deitar de lado é o mais indicado para gestantes

Verdade. Para um bom sono no período de crescimento da barriga, o ideal é deitar de lado, do esquerdo de preferência, e com um travesseiro entre as pernas para facilitar o fluxo de sangue e de nutrientes para a placenta, que estimula a função renal.

Não se preocupe se acordar deitada de barriga ou de costas, apenas volte a deitar-se de lado. Alterações no sistema respiratório, como falta de ar, além de congestão e sangramento nasal, são outros sintomas que podem incomodar as gestantes. Intestino preso e ocorrência de gases também surgem ou se intensificam nesse período.

E à medida que se ganha peso, o inchaço nas pernas e o surgimento de varizes também podem acontecer. O ideal é evitar longos períodos em pé ou sentada, movimentando-se de vez em quando, além do uso de meia elástica, que ajuda a diminuir o desconforto e a reduzir inchaços e varizes.

Dicas como esta fazem parte do Guia de Saúde, no Espaço Família do site da Pro Matre Paulista. Lá, você também encontra orientações para cuidados com o bebê e dicas para o papai enfrentar melhor essa fase de tanta transformação. Acesse!

Bebês devem dormir de barriga para cima: mito ou verdade?

Dormir de barriga para cima é a recomendação atual dos neonatologistas

Verdade. A posição de dormir do seu bebê é muito importante. A recomendação mais recente é colocá-lo de barriga para cima.

Desejar que ele durma a noite toda é comum, entretanto, ele provavelmente não conseguirá ter um período de sono de oito horas até estar com alguns meses de vida.

Mantenha o ambiente do quarto sempre tranqüilo. Ele ainda não sabe dos medos dos adultos, portanto, não é necessário deixar a luz acesa. Somente ligue a luz quando for necessário.

Dicas como esta, e muitas outras, estão no Espaço Família, no site da Pro Matre Paulista. Lá, além de orientações para os primeiros meses de vida do bebê, você encontra informações para a futura mamãe e também para o papai. Acesse!

É possível reduzir o desconforto na gravidez: mito ou verdade?

A escolha da posição certa para dormir aumenta o conforto da gestante

Verdade. Para um bom sono no período de crescimento da barriga, o ideal é deitar de lado, do esquerdo de preferência, e com um travesseiro entre as pernas para facilitar o fluxo de sangue e de nutrientes para a placenta, que estimula a função renal. Não se preocupe se acordar deitada de barriga ou de costas, apenas volte a deitar-se de lado.

Alterações no sistema respiratório, como falta de ar, além de congestão e sangramento nasal, são outros sintomas que podem incomodar as gestantes. Intestino preso e ocorrência de gases também surgem ou se intensificam nesse período.

E, à medida que se ganha peso, o inchaço nas pernas e o surgimento de varizes também podem acontecer. O ideal é evitar longos períodos em pé ou sentada, movimentando-se de vez em quando, além do uso de meia elástica, que ajuda a diminuir o desconforto e a reduzir inchaços e varizes.

Dicas como estas fazem parte do Guia de Saúde, no Espaço Família do site da Pro Matre Paulista. E a família toda está contemplada lá. Além de dicas para a futura mamãe, também há orientações para os cuidados com o bebê e um conteúdo especial para os futuros papais. Acesse!

Recém-nascidos dormem em torno de 20 horas por dia: mito ou verdade?

O local em que o bebê dorme deve ser silencioso e aconchegante

Verdade. Um recém-nascido dorme em média de 20 horas por dia em seus primeiros dias de vida. Esse período se reduz lentamente com o passar dos meses, portanto, é importante que ele durma sempre em um ambiente calmo, de pouca luminosidade, silencioso e aconchegante.

Em média, os bebês têm cerca de oito períodos de sono por dia. Alguns podem durar de 2 a 4 horas, outros são sonecas de apenas alguns minutos. Já o período pré-sono, talvez acompanhado por choro, pode durar até 30 min. Deite o seu bebê quando ele estiver saciado e depois de ter arrotado.

A posição de dormir do seu bebê é muito importante. A recomendação mais recente é colocá-lo de barriga para cima. Porém, este conselho pode não se aplicar a recém-nascidos prematuros. Consulte o pediatra do seu filho. Não se preocupe se o bebê está confortável em apenas uma posição no início.

Desejar que ele durma a noite toda é comum, entretanto, ele provavelmente não conseguirá ter um período de sono de oito horas até estar com alguns meses de vida.

Dicas como esta e muitas outras estão no Espaço Família, no site da Pro Matre Paulista. Acesse!

Bebê deve dormir de barriga para cima: mito ou verdade?

A posição ideal para o bebê dormir: de barriguinha para cima

Verdade. A posição de dormir do seu bebê é muito importante. A recomendação mais recente é colocá-lo de barriga para cima. Porém, este conselho pode não se aplicar a recém-nascidos prematuros.

Desejar que ele durma a noite toda é comum, entretanto, ele provavelmente não conseguirá ter um período de sono de oito horas até estar com alguns meses de vida.

Mantenha o ambiente do quarto sempre tranquilo. Ele ainda não sabe dos medos dos adultos, portanto, não é necessário deixar a luz acesa. Somente ligue a luz quando for necessário.

Dicas como esta você encontra no “Espaço Família” do site da Pro Matre Paulista. No espaço “Dicas para o bebê”, você vai encontrar orientações sobre os primeiros dias de vida, transporte seguro, como evitar cólicas, calendário de vacinas, entre outros. Aproveite o fim de semana e acesse!

O bebê em casa: e agora?

Muitos casais imaginam que o binômio planejamento e informação seja suficiente para lidar com todas as situações relacionadas à gravidez e à chegada do bebê. No entanto, bebês não são aparelhos eletrônicos, que chegam em casa com manual. Aprender a reconhecer as reações do bebê é fundamental para ganhar confiança e atravessar esse momento com tranquilidade.

“O excesso de informação às vezes confunde e cria mais tensão. Costumo dar um conselho simples: desenvolva sua intuição, pois ela ajuda a entender as respostas do seu filho”, orienta Dr. José Claudionor Silva Souza, pediatra da Pro Matre Paulista. Pensando em vários desses momentos, que deixam papais e mamães inseguros, ele traz dicas para os primeiros momentos do bebê em casa.

Um dos momentos de maior aflição dos pais, principalmente dos “marinheiros de primeira viagem” é a hora do banho. Não tem segredo: recém-nascido deve tomar banho em banheirinha, com água a 37 ou 38ºC, usando apenas sabonete neutro para a higienização. Nos primeiros meses, nada de shampoo, talco ou qualquer tipo de perfume.

“A água é a do chuveiro mesmo, sem necessidade de ferver ou filtrar.” O horário mais indicado é o mais quente do dia, entre 10h e 14h. No Verão, pode-se dar outro banho antes de dormir, sem a necessidade de fazer a higiene completa, apenas para ajudar a relaxar o bebê. O banho de balde pode ser usado nessa circunstância, mas para a higienização completa, a banheirinha é mais indicada. “Fundamental é enxugar bem as dobrinhas – pescoço, virilha, axilas.”

A higiene íntima do bebê pode ser feita apenas com água morna e algodão. O uso de pomadas contra assaduras fica a critério de cada mãe. Quem usa a pomada deve aplicar óleo de amêndoas doces na região, pelo menos uma vez por dia, para retirar o excesso da pomada, que fica impregnada à pele. “Lembrar, sempre, que a higiene íntima das meninas deve ser feita no sentido da vagina para o bumbum, nunca ao contrário.”

Normalmente, é aconselhável trocar a fralda cada vez que a criança faz xixi ou cocô. No entanto, vale uma orientação diferente para os recém-nascidos, que costumam fazer cocô logo depois de mamar, já dormindo. “É melhor deixar a criança dormir e trocar assim que ela acordar novamente, para evitar manipular o bebê que acabou de mamar e pode regurgitar”, aconselha o médico.

 

Devo ir ver o bebê toda vez que ele fizer algum barulho à noite?

Isso é um mito. Depois do nascimento de seu filho, a nova mamãe tem os cinco sentidos aguçados. No pós-parto, qualquer barulho que ela escuta durante a madrugada é motivo para uma preocupação excessiva. Na série “Sexto sentido de mãe”, Flávia Carnielli, psicóloga da Pro Matre Paulista explica o que fazer nessa situação.

Durante a noite, a capacidade de perceber os sons do recém-nascido torna-se ainda maior. “Essa habilidade permite que uma mãe escute o choro do bebê mesmo de longe, quando ninguém mais ouve”, comenta a psicóloga, em consultoria para o Portal Vida 10. Isso acontece porque, na memória ancestral de nossa espécie, registramos que os nossos filhotes ficam mais vulneráveis e correm mais riscos nesse período.

Se você acorda naturalmente de madrugada, pode levantar para verificar se seu pequeno está bem. Faça isso silenciosamente. Se ele não estiver acordado, não o pegue no colo. Aos poucos, você aprenderá a reconhecer os sons do seu filho que requerem a sua presença e os ruídos normais que ele faz enquanto dorme.