Novidades

Tamanho do Texto:

Novidades do mês de Janeiro

20/01/2011

Cuidado aumentado para evitar manchas na pele durante a gestação

Uso de filtro solar com fator mínimo 30 é indispensável durante este período

O período gestacional provoca uma série de mudanças já conhecidas na mulher, que vão desde físicas até psicológicas e hormonais. Um fator que merece atenção especial durante a gravidez é a intensificação do uso de protetor solar neste período, com o objetivo de evitar manchas, especialmente nas bochechas, buço, testa, axilas e virilhas, todas relacionadas à exposição ao sol.

A suscetibilidade das grávidas às manchas pode ser explicada pelo aumento da produção do hormônio melanoestimulante, responsável por estimular a produção de melanina, que por sua vez confere pigmentação à pele. Com seu aumento, no entanto, é maior também o risco de a gestante desenvolver manchas na pele, chamadas pelos médicos de “melasma gravídico”, que ocorre por conta de um hormônio estimulador de melanócitos pela placenta, como explica a dermatologista Dra. Thais Adura Pepe.

"Nesse período, a mulher precisa de um cuidado a mais, porque ela possui um risco maior de pigmentar a pele por conta dos hormônios próprios da gestação. O fator de proteção solar deve ser mais alto. Pode variar de paciente para paciente, mas o ideal é que seja acima de 30", afirma a especialista, que destaca a necessidade de reaplicação do produto.

"Quando faz muito sol, o ideal é que a gestante reaplique o filtro solar a cada duas horas. No dia a dia, ela precisa aplicá-lo apenas quando for se expor ao sol", completa Dra. Thais, que diz não haver restrições quanto à composição dos filtros solares, mas destaca o cuidado que as gestantes devem ter com a oleosidade, bastante característica desse período na vida da mulher.

"Depende da cosmética. Se o protetor solar for muito oleoso, ela pode desenvolver acne, já que neste período a pele pode ficar mais oleosa .O ideal é usar filtros oil free, que não obstruem os poros", diz a dermatologista, que recomenda seguir com esse procedimento de precaução até seis meses após a gestante dar à luz.

Voltar