Doenças pré-existentes podem interferir na gestação: mito ou verdade?

O histórico de doenças como hipertensão e diabetes precisa ser considerado no pré-natal

Verdade. O período gestacional é marcado por diversas mudanças e alterações no organismo da mulher. O pré-natal adequado é fundamental para identificar precocemente alguns problemas simples e até evitar doenças mais graves que possam colocar em risco a saúde da mãe e/ou do bebê.

Dr. Luiz Fernando Leite, obstetra da Pro Matre Paulista, diz que o primeiro passo é planejar a gestação. É importante atentar para a saúde da mulher, peso, alimentação e hábitos saudáveis antes de engravidar. “Uma vida regrada e saudável diminui as chances de aparecimento de doenças típicas da gestação. Outro ponto a ser observado é o histórico pessoal e familiar de hipertensão ou diabetes, por exemplo. Isso pode ser determinante para um pré-natal eficiente”, explica o médico.

O segundo passo é fazer o acompanhamento correto, seguindo a periodicidade recomendada pelo obstetra. “Consultas regulares minimizam os problemas. O ideal é que essas visitas aconteçam mensalmente até o sétimo mês de gestação, passando a ser quinzenais no oitavo e semanais no nono mês”, afirma Dr. Leite. Nessas consultas, serão observadas as condições físicas e clínicas da gestante e do bebê, bem como o controle de eventuais problemas que podem surgir no decorrer da gravidez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *