Não se deve substituir um alimento que a criança rejeita: mito ou verdade?

Birra para comer: é melhor não substituir o alimento mas, quem tem tanta paciência?

Verdade. Segundo Dr. José Claudionor Souza, pediatra da Pro Matre Paulista, esta pode ser uma saída. Mas até quanto tempo a mãe deve esperar? “Enquanto tiver paciência, mas geralmente a criança vence”, alerta Dr. José Claudionor. Segundo o médico, é mais fácil aceitar o que a criança come do que fazê-la comer o que o adulto acha que é necessário. “Isso gera um problema na esfera emocional onde a criança nunca contenta o adulto com o que come e, em uma espécie de birra permanente, a criança cada vez come menos”, comenta.

Pela experiência do médico, pais que aceitam o que a criança come, no geral, estimulam o filho a comer melhor. “Enaltecer que a criança come bem, não importando o quanto come, é melhor que comentar que a criança come mal.”

“Infelizmente, as famílias acham que a criança tem de comer o quanto o adulto acha que é importante e não o que é importante de fato para seu crescimento. É comum a criança comer o quanto a família acha que é pouco e continuar  crescendo no mesmo padrão que crescia antes. É necessário saber que com o crescimento , o número de refeições diminui , a necessidade calórica é menor e a criança mantém o mesmo padrão de crescimento”, conclui. Portanto, mamães e papais, contenham a ansiedade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *