Mulher com prótese de silicone não consegue amamentar: mito ou verdade?

Mito. O acesso a cirurgias plásticas tornou-se mais comum nos últimos anos. Com isso, muitas mulheres decidem aumentar os seios, por meio de próteses de silicone, antes de pensarem em engravidar. Depois, vem a insegurança, temendo pela impossibilidade de amamentar seu bebê.

Segundo Dr. Marcos Crisci, cirurgião plástico da Maternidade Pro Matre Paulista, a prótese de silicone não interfere na produção do leite e consequentemente não impede a amamentação. “A minha escolha para a inclusão da prótese é através do sulco inframamário, preferencialmente entre o músculo peitoral e a glândula mamária, pois esta abordagem mantém a integridade da glândula (não há lesão dos ductos e seios lactíferos) possibilitando a amamentação futura”, explica o cirurgião.

Independente da presença de prótese, o que vai determinar a flacidez ou o aparecimento de estrias são os cuidados pré-natais da gestante, bem como as características intrínsecas da pele. “Se a gestante engordar demais, com certeza apresentará efeitos colaterais não relacionados à amamentação”, diz o especialista. O médico ainda recomenda que a mulher aguarde no mínimo seis meses após o parto para a inclusão de uma prótese mamária e de três a seis meses para engravidar após este tipo de cirurgia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *