Bebês acima de quatro meses correm mais risco de queda: mito ou verdade?

Verdade. A partir do quarto ou quinto mês, a criança já é capaz de se virar sozinha. Aquela segurança de deixá-la sobre o trocador ou a cama do casal para vesti-la, trocar sua fralda ou enxugá-la depois do banho deve ceder lugar à total vigilância.

Caso venha a cair, o indicado é colocar gelo imediatamente na parte do corpo que bateu no chão. “É muito comum que as quedas aconteçam perto da hora de dormir, quando a criança já está cansada e menos atenta. A ideia de que a criança não pode dormir depois de um tombo não se justifica”, explica Dr. Francisco Brás, neonatologista da Pro Matre Paulista. No entanto, há sinais de alerta associados a quedas que devem ser observados: a criança fica pálida, prostrada, com sonolência exagerada. Neste caso, procure o pronto socorro rapidamente.

Batidas na parte da frente da cabeça, especialmente na testa, tendem a formar hematomas que “descem” para os olhos no dia seguinte. Portanto, se a criança acordar o olho roxo, não se assuste. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *