Pode ou não pode? 5 mitos sobre alimentos durante a gravidez

ALGUNS DELES NÃO SÃO RECOMENDADOS; ENTENDA POR QUÊ

Ouvimos muito sobre o que as grávidas podem ou não podem comer durante a gestação. Conversamos com a Luciana da Costa, nutricionista da Pro Matre Paulista e mãe de Rafael, para saber a verdade sobre os cinco alimentos abaixo.

Café
“É recomendado beber apenas 2 xícaras por dia”, aconselha a especialista. Isso porque o café é estimulante e a grávida acaba ficando muito agitada, por isso os médicos aconselham ingerir menos. (…)

Gostou e quer saber mais? Clique aqui e leia a matéria completa.

Carnaval: Recomendações às gestantes que querem cair na folia

Quem tem o costume de curtir o carnaval todos os anos e está grávida certamente quer saber se pode sair no bloco, desfilar na avenida ou seguir o trio elétrico. A resposta é sim, mas é importante seguir à risca algumas recomendações muito importantes, conforme orienta Dra. Priscila Cury, obstetra da Pro Matre Paulista.

A primeira coisa a ser feita é consultar seu médico antes de planejar qualquer coisa para o carnaval. Com autorização médica, é hora de decidir como curtir a festa, sempre dando preferência a locais abertos, arejados, evitando grandes aglomerações e temperaturas elevadas.

Depois, fique atenta ao vestuário. Use roupas confortáveis, sem tecidos sintéticos. E deixe o salto alto guardado, ele piora o inchaço e aumenta os riscos de quedas e torções. Por falar nisso, evite ficar muitas horas em pé.

Por fim, não se descuide com a alimentação e a reidratação. Coma a cada três horas alimentos leves e beba, pelo menos, dois litros de água por dia. Sucos naturais e água de coco também são boas opções, e, importante, nada de ingerir bebidas alcoólicas.

Clique aqui e leia a reportagem completa no UOL.

Saiba como evitar as doenças mais comuns em crianças no carnaval

Se seus filhos gostam de uma festa, carnaval certamente é sinônimo de crianças por mais tempo na rua, expostas a mais fatores que podem causar doenças.

Para protegê-los durante a folia e aproveitar o feriado com alegria, vale seguir as recomendações da Dra. Carla Bigoni, pediatra da Pro Matre Paulista.

Sol – “A primeira coisa que eu acho importante falar e que acontece com frequência é a queimadura do sol. Procure expor as crianças à luz solar até às 10h ou só depois das 15h.” Protetor solar com fator acima de 30 e roupas leves, claras e de algodão, também são aconselhados.

Aedes aegypti – No verão é maior a proliferação do mosquito, transmissor de doenças como dengue e febre amarela. Para evitá-lo, abuse do repelente, mas apenas em crianças com mais de 2 anos de idade. “Uma dica para quem tem filhos pequenos é utilizar os famosos mosquiteiros no carrinho e no berço para evitar as picadas,” diz a pediatra.

Espuma – “Os pais precisam ficar atentos, porque muitas espumas contêm álcool e isso pode dar alergia na pele das crianças ou fazer um estrago pior, caso entre em contato com os olhos,” alerta Dra. Carla.

Hidratação – Com o calor e o agito, desidratação é uma grande preocupação. Água, sucos naturais ou água de coco a cada 20 minutos.

Alimentação – É importante alimentar as crianças a cada 3 horas e ser bem chato na hora de escolher onde vai comer para prevenir diarreias e vômitos. “Avalie sempre a procedência do local onde você vai se alimentar,” recomenda a médica.

Clique aqui e leia a reportagem completa no site da Pais & Filhos.

Você sabe o que é Baby Blues?

Durante a gestação, a mulher passa por um verdadeiro turbilhão emocional. Isso pode levar a mudanças bruscas de humor antes do nascimento do bebê e à condição conhecida como “Baby Blues” após o parto.

Pode não parecer, já que o nascimento é um evento relacionado a felicidade, mas o número de mães que apresentam crises de choro, tristeza e angústia dias após o parto não é pequeno. O Baby Blues, ou Blues Puerperal, atinge cerca de 80% das mães e é consequência de alterações hormonais.

“Além disso, nessa fase a mãe entra em contato com o bebê real; ela tem que lidar com os medos e ansiedades causados pelo novo papel materno e isso pode contribuir para o surgimento do Baby Blues,” lembra a psicóloga Mariana Bonsaver, da Pro Matre Paulista.

O quadro não significa que a mulher pode estar com princípio de Depressão Pós-Parto. Em todo caso, sempre procure um especialista para obter um diagnóstico preciso.

Clique aqui e leia a reportagem completa no site da revista Pais & Filhos.

Segundo Filho: Qual é o Momento Certo?

Vários fatores devem ser levados em consideração pelo casal e não apenas a diferença de idade entre os irmãos. Um deles é a alteração na rotina. Se o primeiro filho já tem dois anos de idade ou mais, a vida familiar já possui uma rotina estabelecida que será totalmente alterada com a nova gravidez. Por outro lado, os pais já conhecem os desafios que envolvem uma gestação e irão saber lidar melhor com cada um deles.

O ginecologista e obstetra Dr. Alberto d’Áuria, da Maternidade Pro Matre Paulista, levanta outras questões, como o momento profissional da mãe, em uma reportagem da revista Crescer. Clique aqui para ler.

Há vantagens em ser mãe na maturidade: mito ou verdade?

Verdade. Embora muito se fale dos riscos da maternidade tardia, por questões fisiológicas, há um outro lado. Os avanços da medicina, o papel da mulher na sociedade e também as relações familiares permitem que se escolha a melhor hora para realizar o desejo de se tornar mães.

Como foi possível observar na pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2015, divulgada recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as brasileiras estão se tornando mães mais tarde.

Para a psicóloga Mariana Bonsaver, da maternidade Pro Matre Paulista, faz sentido. “Geralmente, as mulheres aos 40 anos já conquistaram estabilidade financeira, profissional e emocional, o que pode levar a uma gestação mais planejada e um sentimento de segurança quanto ao seu momento de vida”, afirma.

Para ler o conteúdo completo, clique aqui.

Gestante deve redobrar os cuidados com a pele no Verão: mito ou verdade?

Verdade. O Verão está chegando e, com ele, os cuidados com a pele devem ser ainda maiores. E isso deve ser observado ainda com mais atenção pelas gestantes. A dermatologista da Pro Matre Paulista, Dra. Flavia Ravelli, oferece uma série de dicas para grávidas, com foco nesta época do ano.

Acesse o canal da Pro Matre Paulista no YouTube e acompanhe dicas sobre o uso correto do filtro solar, como evitar manchas, cuidados com a oleosidade e muito mais.

Confira!

Toda mulher desenvolve depressão pós-parto: mito ou verdade?

Mito. O período pós-parto pode causar certa angústia em determinadas gestantes, o que sempre traz a ameaça da depressão pós-parto, um problema cada vez mais comum e que afeta todo tipo de mulher. Dr. Bruno Liberman, obstetra da Pro Matre Paulista, explica que toda puérpera passa por um processo complicado de melancolia, mas não necessariamente desenvolve depressão.

“O puerpério é um período turbulento na elaboração de sentimentos, lidando com um ganho único, o nascimento e realizações, misturado com o sentimento de medos e perdas. É um momento de provação, no qual se têm muitas cobranças de si mesma e da sociedade.”

O momento, no entanto, faz parte do quadro e geralmente não demanda o auxílio de um psicólogo. “São raros os casos onde é preciso apelar para medicamentos e psicoterapia. O mais comum são períodos de melancolia e, depois de 40 a 60 dias, melhora”, conclui o obstetra.

Mulheres devem fazer mamografia a partir dos 40 anos: mito ou verdade?

Verdade. Segundo a ginecologista e obstetra da Pro Matre Paulista, Dra. Maria Elisa Noriler, mulheres acima dos 40 anos devem fazer o exame anualmente ou quando o médico julgar necessário de acordo com a inclusão da paciente no grupo de risco. O procedimento pode ser realizado nas duas mamas, tendo o nome de mamografia bilateral ou em apenas uma, sendo chamada de mamografia unilateral.

Este é um exame que pode causar dor porque comprime as mamas em um aparelho de raios-X apropriado, com baixa radiação, chamado mamógrafo e esta é uma área normalmente sensível. Para aliviar o incômodo, a dica de Dra. Maria Elisa Noriler é realizar o procedimento fora do período pré-menstrual .

No dia da mamografia, vale apostar em alguns cuidados. “Orientamos as pacientes a não utilizar creme, talco ou desodorante na região das mamas e axilas. Aconselha-se também o uso de roupas com duas peças, para que somente a parte superior seja retirada durante o procedimento. E para as que já foram submetidas ao exame outras vezes, o ideal é que levem sempre o último resultado para comparação”, finaliza a especialista.

Para ler o conteúdo original, clique aqui.

Alteração de humor na TPM piora na gestação: mito ou verdade?

As mudanças hormonais também podem causar alteração de humor durante a gravidez

Verdade. Algumas mulheres têm o humor bastante alterado na fase de tensão pré-menstrual TPM. A instabilidade emocional é tão grande que elas transitam do choro ao riso, em um curto intervalo de tempo. Quem nunca sentiu aquela vontade repentina de desaparecer quando estava nesses dias?

Geralmente, quando essa instabilidade emocional já faz parte da mulher, isso se acentua na gestação. Se ela tem algum indício de depressão, ele também é acentuado depois que nasce o bebê”, explica Salete Arouca, psicóloga da Pro Matre Paulista.

Os parceiros devem ter ainda mais paciência nessa época. Eles devem entender que as companheiras não estão daquele jeito porque querem. São as alterações hormonais que acentuam essa instabilidade hormonal. Procure relaxar e esclareça todas as suas dúvidas. A informação é o principal trunfo contra a ansiedade.