Cigarro e anticoncepcional, uma mistura perigosa

Dia 31 de maio é comemorado o Dia Mundial Sem Tabaco e nesta data é importante alertar  para uma perigosa e silenciosa combinação: cigarro e pílula anticoncepcional. O cigarro, individualmente, já traz diversos problemas de saúde, principalmente os ligados ao coração e à circulação do sangue pelo corpo. Para as mulheres, ser fumante e tomar pílula anticoncepcional podem levar a graves problemas de saúde, tais como a trombose, infarto, AVC e derrame.

Segundo a ginecologista e obstetra Dra. Maria Elisa Noriler, da Pro Matre Paulista, há um aumento em até 30 vezes de desenvolver trombose, por exemplo. “O uso do anticoncepcional ativa alguns fatores da coagulação e uso do cigarro por causa de várias substâncias tóxicas, que vão se depositando na parede dos vasos e formando placas rígidas de ateroma (uma formação composta de gordura, células inflamatórias e cálcio, que podem estreitar a passagem do sangue)”, explica.

É necessário que todo ginecologista alerte suas pacientes sobre os riscos desta combinação, pois há outras opções de anticoncepcionais menos perigosos para quem é fumante, como o DIU de cobre. “É recomendado sempre que se pare de fumar, pois os danos para a saúde são imensos, além do que, causa mais de 40% das mortes de mulheres com menos de 65 anos. Mas no caso de recusa, é possível adequar melhor a contracepção e tentar diminuir os danos”, orienta Dra. Maria Elisa.

Para ler o conteúdo completo, clique aqui.


Podemos ajudar?

Fale conosco pelo
WhatsApp.

Whatsapp

Agende visitas, marque
consultas e mais.

Acesso rápido

Skip to content