Portal Coronavírus

Como estamos preparados

Nós, da Maternidade Pro Matre Paulista, uma das maiores maternidades da América Latina, temos ciência da nossa responsabilidade frente à pandemia de COVID-19. Desde os primeiros casos no país, criamos um Comitê de Crise formado por infectologistas, obstetras, neonatologistas e enfermeiros, além da diretoria e outros executivos, incluindo a área de Suprimentos, que se reúne de forma virtual diariamente para discutir e atualizar condutas e protocolos da maternidade em relação ao novo coronavírus com o objetivo de priorizar a segurança de pacientes, acompanhantes e profissionais da saúde.

Reafirmamos nosso compromisso de proteger todas as nossas pacientes com a mesma segurança e excelência praticadas em nossos mais de 80 anos, sejam aquelas que chegam para receber assistência geral – um parto programado ou de urgência – sejam as gestantes com suspeitas ou acometidas pela COVID-19. Como realizamos um volume elevado de partos por mês, nossa estrutura – como a de um hospital de grande porte – já está preparada para receber também casos de gestação de alta complexidade. Com o diferencial de atendermos exclusivamente mulheres, gestantes e neonatos – e apresentarmos uma taxa global de infecção hospitalar baixíssima.

Prevendo a possibilidade de aumento no número de pacientes com casos suspeitos ou confirmados de COVID-19, reorganizamos nossa estrutura física e nosso fluxo de atendimento, desde a triagem na recepção, onde pacientes e acompanhantes são orientados quanto ao uso da máscara, e seguindo para o Pronto Atendimento exclusivo separado da rotina (assistência para medicação e realização dos demais exames obstétricos). Além disso, criamos áreas específicas para atender e realizar o tratamento adequado de COVID-19 para as parturientes e recém-nascidos por meio de espaços exclusivos e isolados, que contemplam salas de parto normal e Centro Cirúrgico, Semi-Intensiva Obstétrica, UTI Adulto, UTI Neonatal e quartos de internação.

Assim, reiteramos que os casos identificados de COVID-19 estão dentro da expectativa do nosso Hospital e estamos preparados para realizar esses atendimentos. Como todo hospital de grande porte, contamos com todos os recursos necessários para atender os casos identificados de COVID-19 e que precisarem de internação, incluindo respiradores e demais equipamentos que contemplam uma Unidade de Terapia Intensiva, com protocolos definidos e sem necessidade de transferência.

Dentro do Comitê de Crise, mantemos um fluxo diário para gerenciar a quantidade de leitos destinados para pacientes com COVID-19 e para atualizar nosso planejamento, e temos capacidade para adequar e customizar constantemente nossa estrutura e escalonar o atendimento a pacientes que necessitam de cuidados especiais com a destinação de novos leitos prontamente. Com isso, reafirmamos que seguimos todos os protocolos e orientações do Ministério da Saúde (MS) e, para os casos confirmados como positivos da COVID-19 ou eventuais óbitos, comunicamos primeiramente as autoridades epidemiológicas do Município e do Estado de São Paulo.

No Hospital, realizamos a gestão de todos os recursos necessários para o enfrentamento da pandemia da COVID-19 e, assim, reforçamos nosso trabalho para continuidade da excelência no atendimento do binômio materno-fetal e garantia de uma assistência segura e humanizada.

Como método preventivo, reduzimos a circulação de visitantes, fotógrafos e decoradores na maternidade. Está permitido um acompanhante, maior de 18 anos, por paciente. São permitidos acompanhantes assintomáticos. Caso o acompanhante apresente sintomas gripais durante o período intra-hospitalar, ele deverá se afastar. O acompanhamento da doula durante o trabalho de parto está permitido, desde que não apresente sintomas gripais.

Compreendemos, primordialmente, a irrefutável importância dos profissionais de saúde neste cenário. Sendo assim, o uso dos EPIs (Equipamento de Proteção Individual) são disponibilizados a todos os profissionais da equipe multidisciplinar do Santa Joana, ficando tais equipamentos em estações de paramentação e de fácil acesso – sem qualquer restrição de quantidade de uso para aqueles que prestam assistência, e está de acordo com as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), da Secretaria de Saúde Estadual e, também, do nosso Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Também estamos realizando exames para diagnóstico em todos os pacientes com sintomas respiratórios quando indicado. Todos os profissionais de saúde que tiverem contato com casos suspeitos ou confirmados de infecção respiratória, sendo ou não COVID-19, usam EPIs.

Em relação à estrutura da maternidade, foram separados leitos específicos para a internação de pacientes infectados pelo Coronavírus, o que facilitou o treinamento da equipe e permite limitar o número de profissionais expostos. Exames como Cardiotoco, por exemplo, estão sendo realizados dentro dos quartos, evitando, assim, a circulação das gestantes no ambiente hospitalar.

Para garantir a segurança de todos, a Pro Matre reduziu os horários de visitas, na busca de diminuir a circulação de pessoas em suas dependências. É permitido dois visitantes por paciente, assintomáticos, das 10h às 14h e das 17h ás 20h. Crianças acima de 2 anos contam como visitantes e devem fazer uso de máscara.

Com o objetivo de elaborar um plano de contingência ágil e eficaz contra o surto de coronavírus sem impactar o serviço assistencial da instituição, estruturamos um comitê especial, que reúne representantes de todas as áreas do hospital, como alta direção, equipe do SCIH, corpo clínico, farmácia, suprimentos, saúde corporativa e recursos humanos. A partir desse comitê, são estabelecidas algumas medidas a serem tomadas para proteção, prevenção e tratamento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Confira algumas medidas adotadas:

Fluxo de atendimento

– Gestante com sintomas respiratórios passam pela triagem e são encaminhadas para atendimento em ambiente separado.

– Acompanhantes são orientados a não circular pela maternidade. É permitido apenas um acompanhante.

– Atualmente, todas as gestantes/puérperas que procuram o pronto-atendimento com quadro respiratório estão sendo triadas para coronavírus e influenza, visto que essa informação é importante posteriormente para o manejo neonatal.

– O foco é descartar a infecção por influenza e o médico deve avaliar a necessidade de coleta de exame para Covid-19.

Orientações para pacientes

– A recomendação da maternidade é para que gestantes assintomáticas não procurem o pronto-atendimento para pesquisa de qualquer vírus respiratório.

– A orientação é que pacientes com infecção leve por Covid-19 sejam mantidas em isolamento domiciliar, mas para que fiquem atentas a qualquer sinal de evolução da doença, como persistência da febre e dificuldade para respirar.

– Elaboramos uma carta de orientações quanto às medidas que devem ser tomadas pela gestante durante período de isolamento e indicando quais são os sinais clínicos da evolução da doença.

– A orientação é que o obstetra responsável pela paciente mantenha contato periódico para acompanhamento da evolução do quadro.

– Os pais que já tiveram alta com seus bebês, por motivos de segurança, não voltem para a maternidade. A estrutura do hospital é voltada para gestantes e os primeiros dias do recém-nascido. É importante que a família encontre um pediatra de sua confiança e caso precise de algum atendimento de emergência, procure uma instituição pediátrica.

Orientações para mães internadas com quadro gripal

– Manter a porta fechada e as janelas abertas.

– Evite contato prolongado com bebê (evite beijar o bebê e tossir ou espirrar perto dele).

– Mantenha o berço do bebê longe da sua cama, preferencialmente a mais de 1 metro de distância.

– Usar máscara facial (cobrindo completamente nariz e boca) ao manipular o bebê. A máscara deve ser imediatamente trocada em caso de saturação ( ficar molhada devido a tosse ou espirro);

– Higienize suas mãos com álcool gel ou lave as mãos com água e sabão sempre antes de tocar seu bebê.

Orientações para visitantes

– A maternidade tomou medidas restritivas limitando o número de visitantes, principalmente nas unidades de terapia intensiva, tanto adulto quanto neonatal.

– Um dos maiores desafios enfrentados pelo hospital neste momento é no trabalho de conscientização de visitantes e pais quanto à circulação nesses espaços.

Cuidados com nossos colaboradores para que eles cuidem de você

1. Foi emitido um boletim para os colaboradores com todas as informações necessárias de como se proteger do vírus e como usar corretamente os EPIs, como máscaras, luvas, óculos, gorros e aventais.

2. Foi feita uma adaptação do refeitório para que haja a distância recomendada entre os colaboradores durante as refeições.

3. Temos TVs espalhadas por toda maternidade com Informações e orientações sobre o coranavírus.

Orientações para pais com bebês na UTI

Estrutura

– Separamos leitos específicos para a internação de pacientes infectados pelo coronavírus, o que facilitou o treinamento da equipe limitou o número de profissionais expostos.

– Exames como cardiotoco, por exemplo, são realizados dentro dos quartos evitando, assim, a circulação das gestantes no ambiente hospitalar.

Existe risco para o bebê?

– A indicação é que todos os recém-nascidos de mães infectadas pelo Covid-19 sejam cuidadosamente avaliados, incluindo a pesquisa para o vírus, independente dos sintomas.

– Caso o recém-nascido apresente sintomas, deve receber suporte clínico na UTI neonatal.

– Por segurança, caso a mãe esteja infectada e na fase aguda de transmissão, é indicada a separação do binômio.

– A mãe poderá ordenhar o leite para que seja oferecido ao bebê. O vírus não foi identificado no leite materno, mas existe a chance de infecção pelo contato íntimo e prolongado que acontece durante o aleitamento.

– Mães que não estão em fase aguda poderão permanecer em alojamento conjunto com o bebê, desde que tome as precauções recomendadas, como uso de máscara e rigorosa higiene das mãos.

– É altamente recomendada a restrição de visitas ao bebê neste momento. Seja na maternidade ou em casa, principalmente por pessoas doentes.

– Recomenda-se não levar o bebê para passeios em locais fechados e com aglomeração de pessoas, como shoppings centers.